Roacutan – efeitos positivos e negativos

Começo o post de hoje sobre o tratamento com Roacutan cumprindo uma promessa: pois é, lá vão as fotos comparativas, pra vocês verem o estado do ser que vos escreve:


Rakky antes de começar o tratamento. Jujuba e Ísis queridas, desculpem por cortar vocês da foto
. (29/8/2009*)

Rakky, quatro meses depois do início do tratamento. Sim, eu sei, é demais não é? (1/1/2010)

* Na primeira imagem eu já havia tratado a acne com Tetralysal

Sim. A primeira foto tem menos luz que a segunda, mas não achei nenhuma foto minha antiga que demonstrasse melhor o que acontece na minha pele. Como dá para perceber, na foto nº 1 a coisa tava feia no meu rosto e, na foto nº2, com muito esforço você vai ver uma manchinha na minha testa. Também havia uma espinha interna do lado esquerdo do nariz [aliás, ela ainda está aqui :( ]. Ah, depois da foto tirada, surgiram duas novas espinhas na região do queixo, à direita. Mínimas se você, caro leitor, comparar com a quantidade de espinhas visíveis [e imagináveis] na primeira foto do post.

E é justamente porque as espinhas, apesar de raras, continuarem a surgir que minha médica aumentou a minha dose de Roacutan. A partir desse mês, passo a tomar dois comprimidos num dia e no seguinte um só. Bonitinho não é? Isso reduz o tempo de tratamento [no meu caso, previsto para um ano] mas aumenta as despesas mensais com o remédio e com os hidratantes.

O tratamento está indo bem e eu já estou muito satisfeita com o resultado. Porém, nem tudo são flores…  Aqui fica um primeiro alerta sobre como o Roacutan não é um remédio assim tão perfeito.

A bula do comprimidinho não engana. Você fica ciente ao lê-la de que vai passar por poucas e boas durante todo o período do tratamento. Mas sempre temos aquela história do ‘isso não vai acontecer comigo’ ou ‘é realmente ruim, mas estou ileso’. Pois é… aconteceu comigo. E foi tão disfarçadamente que eu nem percebi:

Entrada no consultório:

- Oi Dra., tudo bem?

- Claro que sim, Rakky… como foram as férias e [blá, blá, blá...]

- Vamos ver os seus exames… tudo Ok com o seu sangue… ah, gravidez negativo, ok, ok… é… você viu que o colesterol deu uma aumentada, não é?

- Poxa doutora, nem tinha visto *assustadinha*

- Pois é, estamos em 210… o normal é 150… mas não fica preocupada não! Quando você encerrar o tratamento, tudo volta ao normal…

- Pois é… *bem assustada*

- Mas a gente vai ter que aumentar a sua dose de remédio, então, vamos tomar cuidado com a dieta ok?

- Ok, o que eu devo evitar?

- Ah… nada de gorduras, frituras, gema de ovo, doces, chocolate… muitos alimentos integrais, saladas, legumes e verduras e tudo muito natural, tá bom?

- Tudo bem *extremamente assustada*.

Ok, vamos começar uma dieta incrível para combater o colesterol e parar de ter vida por um tempo. Sim, o remédio tem mostrado muito resultado e eu vou continuar.

Roacutan power! Para bem e para mal… =(

Acabo de fazer uma descoberta que vai mudar meus próximos dias: as minhas incríveis dores no corpo não são só o cansaço pela correria no TCC.

 

Pois é, o Roacutan tem seus efeitos colaterais não é mesmo? Depois de ler o comentário do Tóin em meu último post sobre o tratamento, tudo ficou mais claro.

 

Pois é. Além da secura na garganta, o ressecamento da pele, o calor excessivo, o ressecamento dos lábios e a sede sem fim, agora descobri que minhas dores musculares, ou mialgia como preferirem, fazem parte dos efeitos colaterais do remedinho milagroso.

 

Mas o meu rosto tá ficando tão bonito…

Mais sobre o tratamento: minha guerra contra a acne continua

Hoje fui fazer os exames mensais para dar continuidade ao tratamento para acne. É uma coleta de sangue apenas, e com a amostra são feitos 8 exames, que demonstram meus níveis de colesterol, minha taxa de glicemia e até se eu estou ou não grávida. O exame de gravidez é indispensável para a continuidade do tratamento em todas garotas que se submetem aos efeitos do Roacutan. Isso porque, caso uma garota que esteja sobre efeito do medicamento fique grávida, o bebê corre sério risco de nascer com deformações. Sim, esse negócio é um tanto perigoso.

Tive poucos problemas maiores com o tratamento nas duas últimas semanas. A ardência no rosto passou, só a sensação de ressecamento constante continua. A sede é uma coisa com a qual já me acostumei: me sinto tão sedenta por água como um vampiro pode se sentir por sangue (e eu acho que minha leitura intensa de uma série vampiresca por aí influenciou esse pensamento), mas já é corriqueiro. Tomo mil litros de água por dia. Tive vontade de consumir bebidas alcóolicas, mas em todas as oportunidades me lembrei que tenho muito amor ao meu fígado. Manteiga de cacau, protetor labial, brilho e qualquer outra coisa nesse gênero também não surtem mais efeito: minha boca parece tão ressecada quanto uma uva passa 5 minutos depois de passar qualquer proteção.

Tudo bem que tudo isso pode assustar. Mas os resultados têm vindo também. Não tive muitas espinhas novas, as velhas estão sumindo, está tudo bem. Só no último fim de semana meu corpo parece ter tido uma recaída e me deu duas pequenas marcas de presente, uma na testa e uma abaixo do olho direito, quase no formato de uma lágrima. Semana que vem fecho o primeiro mês com uma consulta à dermatologista e aí veremos o que se passa comigo. Até lá, é continuar tomando o remédio direitinho e lembrar de anotar qualquer novidade.

Acne: a doença e o tratamento

“Acne é uma doença inflamatória da pele, de maior frequência durante a adolescência. Isso se dá devido ao nível elevado de hormônios sexuais, que causa o aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas e provoca o aparecimento de espinhas, bolhas e pontos negros principalmente no rosto, nas costas, no colo e nos ombros”.  [parcialmente extraído da Wikipédia]

Pois é. Comigo não foi assim. Apesar de eu ter 21 anos, já era idade para não ter mais problemas com acne. Se estou escrevendo esse post, é sinal de que ainda tenho, não acham?

Iniciei, há quatro meses, um tratamento para o problema. Consultei uma dermatologista que me examinou e caracterisou meu problema como “acne moderada / grave”. Isso quer dizer que eu não sou um tipo de paciente comum, mas também não tenho o mais grave dos problemas. Estou no meio termo. O primeiro tratamento indicado foi:

  • Tetralysal 300g: ingestão de um comprimido por dia, durante 14 dias;
  • Tetralysal 150g:  após o término da ingestão do Tetralysal 300g, ingestão de uma cápsula por dia, também durante 14 dias;
  • Dermotivin: sabonete para uso diário, lavar o rosto ao acordar e antes de ir dormir;
  • Adacne Gel: aplicar o gel após a lavagem do rosto, antes de dormir, dia sim / dia não, durante uma semana. Na semana seguinte, aplicar o gel todos os dias.

Pois é. O tratamento acima trouxe poucos resultados. Após isso, a minha dermatologista me solicitou diversos exames de sangue e me indicou o site do CUCAS (veja nos links abaixo), para tirar dúvidas sobre o próximo passo do tratamento: a ingestão de Roacutan.

O remédio é temido por muitos por causa de seus efeitos colaterais (clique aqui e leia a bula do remédio). Para receitá-lo, o médico dermatologista precisa comprovar que pode prescrever o medicamento, por meio de uma nota-comprovatória, entregue ao paciente. Além disso, nós pacientes, devemos assinar vários termos de compromisso, atestando nossa ciência e responsabilidade sobre o uso do remédio.

Hoje foi o meu primeiro dia de uso. Até agora, nenhum efeito colateral. Postarei nesse blog as evoluções e possíveis ‘probleminhas’ com o tratamento, além de dicas para cumprir todas as prescrições médicas.

É isso.

Alguns links interessantes para quem está pesquisando sobre o assunto:

  • CUCAS – Clube dos Unidos Contra a Acne: informações sobre a saúde da pele, seção de entretenimento, procura por dermatologistas e dicas – http://www.cucas.com.br
  • Acne: site informativo sobre a acne. O que é, como surge, mitos e verdades, cuidados com a pele e outras informações -
    http://www.acne.com.br