A fantástica São José do Egito

O berço imortal da poesia foi o meu destino na minha primeira viagem de férias.

Entrada da cidade de São José do Egito

Como sabem alguns vocês, queridos leitores, minha mãe, D. Marlene, nasceu nessa cidadezinha do interior de Pernambuco, já pertinho da Paraíba. Resolvi passar minhas férias lá porque queria rever meus primos, reconhecer (no sentido de conhecer bem e de novo) meus tios e toda a família Leite, presente não só no sobrenome, mas nas minhas melhores lembranças.

O que vi foi uma grande cidade, com economia organizada, povo muito batalhador e simpático e muitas lembranças de um período que não vivi, mas do qual sou parte: a vida da mamãe. São José do Egito não é conhecida como a terra da poesia à toa. Por todos os lugares em que você anda, encontra poetas e poesia: seja no Sebo da cidade, na feira em uma conversinha informal, na livraria, nas praças, no nome das ruas, que relembra grandes nomes da cultura da região e nos grafites:

Mas o contato com a Família Leite foi o que eu mais achei legal de toda a viagem. São José do Egito é uma cidade muito familiar em que o valor da família não é desprezado e onde ter algum sobrenome é importante para que as pessoas saibam quem você é, de onde você vem e se é possível confiar em você. Viver isso é como voltar ao passado e ver como era bonito ter esse tipo de confiança e de respeito pelas pessoas.

Entre os artistas da cidade, conheci Arlindo Lopes, um poeta e professor nascido em São José que dá orgulho de ver: todas as obras do cara, de livros a cordéis, mencionam a cidade em que ele nasceu e se criou, falam de suas lendas urbanas, de suas personalidades, de suas praças, igrejas, monumentos históricos e estradas. Nunca conheci uma pessoa com tanto orgulho da terra de onde veio antes.

Por ele, por toda a minha família e por tantas outras pessoas geniais é que digo: São José do Egito é uma terra para se chamar de minha, que eu não quero deixar de visitar, sempre que possível for.

Você também pode gostar de ler: 

- O João Rock e a falta que esse tipo de festival faz à capital paulista
- Quem canta por ti, São Paulo, meu amor?
- Os incomodados que se mudem!
- Entrevista com o jornalista Alisson Ávila
- Resenha – “Revelando São Paulo” traz miscigenação cultural até dia 16 de setembro
Anúncios

2 comentários em “A fantástica São José do Egito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s