Fotos na Estante

PS. antes que alguém diga: não, isso não é uma série de posts baseados em nomes de músicas do Skank. É só que eu tenho sido inspirada por coisas que acontecem no dia, e aí, quando coloco tudo no papel, Skank surge para nomear tudo. Não posso fazer nada!  

Dia desses estava olhando as minhas fotos antigas. Me dei conta de que eu fui uma bebê linda, uma criança bonita, uma adolescente feia pra caralho, uma universitária um pouco menos feia e agora, sou uma jornalista de aparência mediana. Isso no aspecto estético da coisa. O que significa que, traçando um gráfico, eu tive um período de pico de beleza, quedas consecutivas e um retorno à variável positiva.

Mais ou menos no mesmo período, “achei” uma propaganda de roupa que me lembrou uma outra, que por um acaso apareceu numa revista que a Andreia folheava um dia, na casa dela. A Andréia é a minha melhor amiga da adolescência e, como tal, sabe como eu era feia na época e sabe meus segredos todos da época. A propaganda lembrada era de uma marca de roupa que tinha vários jovens, como que sentados juntos, posando pra foto e usando as roupas da marca. A gente lembra dessa propaganda muito bem porque um dos jovens era um sósia do garoto mais bonito da escola (quiçá do universo) pra nós duas naquela época. Ele era lindo, tinha bom gosto musical e, é claro, era impossível, porque era da turma dos mais velhos. Aí eu fui ver se ele ainda existia e levei um susto: existe, e está horrível. Analisando o gráfico dele eu poderia dizer que ele teve um pico de beleza além do comum e, de uma hora para outra, começou a decair, como quem desce rolando uma grande colina… e ele ainda deve estar na metade dela, porque olha…

Ok, toda essa introdução (introdução???) é pra dizer que eu acredito muito que a mudança estética tem a ver com a mudança no estado de espírito da pessoa. Quando você está triste, por alguma razão, você passa a cuidar menos de si (e fica feio pra caralho). Quando está feliz, o contrário logo é perceptível.

As minhas fotos na estante dizem que os períodos mais bonitos da minha vida aconteceram entre os 18 e os 21 anos. Foi nesse período também em que eu deixei de ser feia pra caralho. Não que hoje em dia eu seja um primor, uma jóia rara, mas porran! Eu tinha fotos terríveis naquele período em que eu achava que estava bem, gente!

Talvez o menino bonito que eu e minha amiga admirávamos tenha tido uma fase adulta difícil. E se descuidado. Talvez isso seja só uma mais uma tese infundada da minha cabeça, que funciona sem achar muito sentido. De qualquer forma, é uma tese.

E você? Se sente mais bonito hoje? Acha que a sua vida estar melhor / pior te faz se sentir mais bacana? Seu estado de espírito influencia você?

Anúncios

Um comentário sobre “Fotos na Estante

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s