Gato, gato, gato!

  Um belo dia, depois de 27 anos de uma longa e feliz vida, me deparo com uma constatação importante: nunca tiver um bicho de estimação só meu. Tive sim, cachorros de posse e responsabilidades compartilhadas, lá dos primórdios da infância, coisas de pouco tempo e pouco costume. Resolvi que adotar um gato seria bom. E o Lupin chegou.

Sempre defendi os direitos dos animais e o bem tratar deles, do meu jeito distante, mas hoje, do alto de minhas duas semanas de posse desse animalzinho, entendo mais. Ele é um ser que depende única e exclusivamente de mim pra viver, não recebe toda a atenção que eu gostaria de dar e ainda assim está sempre feliz ao me ver. E é maravilhoso ter essa pequena grande companhia. 

Anúncios

Não se preocupe tanto assim…

screw-up O ano mal começou e já tem gente se arrependendo. Aí, comi aquele chocolate e estraguei minha dieta. Aí, deixei de cumprir duas das minhas metas pro ano no 3º dia. Aí, porque eu sou sempre tão quieta? Aí, tá vendo? Fala demais e sai bosta toda vez…

Cê jura pra mim que cê quer começar mais um ano se arrependendo? De verdade, o quadrinho acima é real: não tem ninguém no mundo preocupado em fazer as contas de quantas vezes você errou, quantas vezes você acertou, quantas vezes você falou bosta ou quantas vezes você fez qualquer coisa. Falando sério, nem você mesmo faz essa conta com precisão, porque tem coisas que simplesmente passam, são esquecidas, apagadas com o tempo. Então, pra quê ficar se preocupando?

Errar é humano. Essa é a máxima mais conhecida do universo, mas tem vezes que não é levada em consideração.  Não dá pra ser 100% incrível o tempo todo e também não dá pra ficar o tempo todo vivendo o passado, pensando no que se podia ter feito e não foi e no que foi feito e não devia ser. Se existe algo ou alguém que tem o poder de tirar o que há de melhor em você é você mesmo. Esse é um dos super-poderes mais perigosos que nós, heróis do dia a dia, possuímos.

Meus Melhores Discos Nacionais de 2013

Caro um leitor,

Essa provavelmente será a lista mais atrasada de melhores do ano que você já leu (a não ser é claro pela que vou publicar amanhã, com os discos internacionais). De qualquer forma, o atraso tem razões de: tempo, indecisão e caramba, só tem disco bom esse ano. Enfim, os meus melhores seguem um critério muito simples: o que foi que mais me chamou a atenção nesse ano todin de meu deus. Tá aí, divirtam-se!

1.    O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui – Emicida

emicida-o-glorioso-retorno-de-quem-nunca-esteve-aqui
Um cara que tem a sensibilidade de cantar histórias como “Crisântemo” e “O sol de giz de cera” certamente merece destaque entre os melhores do ano. Isso porque não dá pra falar do Emicida sem falar da emoção que ele transmite em cada uma das suas músicas e não dá pra lembrar de 2013 na música sem mencionar o trabalho desse cara. Seja falando do amor que tem por sua Vila, seja contando com seu rap a história de um Brasil que a galera insiste em fingir que não existe, Emicida fez O Glorioso Retorno de Quem nunca Esteve Aqui ser uma obra indispensável para entender a música brasileira dos anos 2010 (se é que já dá pra chamar assim). O rap é a base, tem pop, tem rock, tem forró, tem samba, tem música brasileira e tem poesia desde o primeiro verso. Uma poesia original, mas que ao mesmo tempo não é nenhuma novidade: é só um retrato do que ninguém quer ver.

2.    Muito Mais Que o Amor – Vanguart

vanguart-muito-mais-que-o-amor-capaO Vanguart deixou de ser aquela banda triste que você ouve quando está na fossa. O álbum Muito Mais Que o Amor é exatamente essa declaração: a banda encontrou o amor verdadeiro e canta, em cada uma das 11 músicas do trabalho, a beleza desse sentimento. Os destaques do disco são sem dúvida “Meu Sol” e “A Escalada das Montanhas de Mim Mesmo”, muito embora “Estive”, single do lançamento e “Eu Sei Onde Você Está” mereçam destaque entre as 11 canções do trabalho. Ninguém duvida do sucesso do trabalho: um lançamento lindo em vinil, uma festa pra celebrar o lançamento do primeiro clipe (também lindíssimo) e o pop intenso de cada canção que contagia até os roteiristas das novelas da Globo estão aí pra resignificar o Vanguart na sua coleção de discos: agora você vai ter um álbum só das músicas bonitinhas, para ouvir com o par e também para sonhar com esse muito mais que o amor que eles encontraram.

3.    De Lá Até aqui – Móveis Coloniais de Acajú

moveis-coloniais-de-acaju-de-la-ate-aquiQuando o novo do Móveis saiu eu comecei a ouvir sem parar, como já havia feito com os discos anteriores, infelizmente não todos na data de lançamento. A evolução da banda é clara ao comparar com os registros anteriores, o investimento em músicas mais lentas, a poesia mais viva nas letras, a transparência e o gosto de cada um dos membros da banda pelo novo trabalho, que está óbvio no show, no disco e na própria capa em que eles dão a cara a tapa pela primeira vez, tudo isso faz dar gosto de ouvir. De Lá Até Aqui reúne 14 músicas muito boas, com referências aos Beatles (gostei!), ao pop, ao soul e à música brasileira dos anos 70 e 80. Destaque para a já sucesso “Sede de Chuva” e seu clipe encantador, a completamente lado B “Campo de Batalha” e a animada (como nos velhos tempos) “Melodrama”.  Impossível não viciar.

4.    Sacode – Nevilton

nevilton-sacodeAgito. Luz. Cor. E muito rock in roll. Esses são alguns adjetivos que você consegue atribuir ao Sacode, do Nevilton, já na primeira audição. Esse balanço que esse garoto e seus dois companheiros de banda possuem faz com que a gente queira que o disco, terceiro trabalho dos caras, não acabe mais, tamanha é a mistura de referências que ele nos faz rever (só coisa fina, de Caetano a Black Keys, tá tudo ali!) e a vontade que a gente tem que o Brasil inteiro conheça e dê valor a esse trabalho.

Aliás, Sacode é um nome muito bem escolhido: todas as músicas, sejam as mais lentas, como “Crônica” e a fofíssima “Friozinho” ou as mais agitadas como a própria “Sacode” e “Espero Que Esteja Melhor” pedem, clamam, quase que imploram: dance. O trabalho de produção de Miranda, a criatividade de Nevilton e o gostinho de quero mais dão o tom:  sacuda o esqueleto. Se mova. Sacode!

5.    Animal Nacional – Vespas Mandarinas

vespas-mandarinas-capa-animal-nacional-1024x1024Os temas urbanos, as ruas de São Paulo e os corações partidos na metrópole podem ser tidos como alguns dos assuntos que resumem o trabalho do Vespas Mandarinas de 2013. Animal Nacional, que também declara amor e ódio ao Brasil, faz a gente sentir que existe uma conexão entre os nossos computadores nervosos baixando MP3 e a beleza da música dos anos 80 e 90, quando tudo era difícil de achar, mas eram essas mesmas guitarras que moviam nosso mundo.

Pra resumir esse disco dando crédito aos seus principais momentos, a incrível “Distraídos Venceremos” consegue se tornar uma trilha sonora de um jovem paulistano, “Não sei O que Fazer Comigo” (Ya No Sé Que Hacer Conmigo), versão da banda uruguaia El Cuarteto de Nos e a quase homenagem “Santa Sampa” dão o tom de um disco que reúne poesia, lirismo e bastante rock in roll. Tão bom que é pra tudo quanto é tempo que já ganhou até indicação ao Grammy. Força, Vespas!

6.    Gaveta – Phill Veras

Gaveta_Phill-VerasPhill Veras teve grande destaque durante o ano de 2013. O cantor se apresentou no Rock in Rio e foi um dos grandes destaques de vários festivais de música ao redor do Brasil, mas deixou o melhor para o final: escolheu dezembro pra tirar da Gaveta as canções que formam seu primeiro álbum. A escolha não podia ser mais adequada. Apesar determos algumas velhas conhecidas no trabalho, como “A Estrada” e “O Velho John Dizia”, saídas dos EPs Valsa e Vapor e A Estrada, Phill mostra todo seu valor em “Faz”, “O Piano” e “Cambota”, entre outras, que merecem um lugar de destaque entre os melhores (e mais fofos) discos que 2013 poderia produzir.

7.    Mustache e os Apaches – Mustache e os Apaches

mustache-e-os-apaches-2013
Eles são uma banda de rua e estão lançando seu primeiro disco de estúdio. E aí, como faz para deixar as músicas que são tocadas no meio do trânsito de São Paulo fazerem sentido dentro de uma sequência e soarem bem num disco? Os caras do Mustache & os Apaches não só conseguiram o feito, como mostraram o que toda a experiência das calçadas paulistas ou não pode fazer com uma banda.

O jogo de vozes que a banda faz e as experimentações instrumentais (o som daquele washboard sempre vai fazer você reconhecê-los) têm destaque em “O Gato”, (porque nada melhor para uma banda de rua do que contar a história de um gato de rua, não é mesmo?), “O Gigolo”, freneticamente dançante, de um jeito que só seria melhor se você estivesse num bailinho dos anos 70, e é claro, na inexplicável “Twang”, single absoluto, que ganhou um dos melhores clipes de 2013. Difícil, difícil mesmo, não viciar.

8.    Sábado – Cícero

cicero-sabadoUm lançamento muito esperado pode trazer muita alegria e muita decepção. Cícero pode ter decepcionado muita gente que queria que ele repetisse a formula de Canções de Apartamento, mas fez um ótimo trabalho com Sábado. A excêntrica mistura de alegria e de melancolia que o cantor conseguiu fazer em Canções ainda está lá, mas de alguma forma diferentes. Sábado tem canções memoráveis como “Porta, Retrato”, lançada antes do disco e ainda “Sem Nome” no canal do moço no Youtube e momentos em que há dúvidas sobre o garoto do “Apartamento” como “Duas Quadras”. Mas ele aparece nessa lista de qualquer forma por “Fuga No. 4”, “Capim-Limão”, “Pra Animar o Bar” e sem dúvida, pela atitude de ser o que ele queria ser e de se mostrar todo novo para um público que queria mais do mesmo.

9.   O Curioso Caso da Orquestra Invisível – Camarones Orquestra Guitarristica

camarones-orquestra-guitarristica-o-curioso-caso-da-musica-invisivelFaz tempo que o rock nacional instrumental tem nos mandado mostras de que ele é possível, de que faz bem, de que vale a pena. O Camarones Orquestra Guitarrística mostrou, mais uma vez, que isso é possível. O Curioso Caso da Música Invisível, terceiro trabalho da banda potiguar, é uma festa de ritmos e harmonias que fazem a gente pensar, dançar e até querer cantar o som das guitarras dos caras. Destaque para a incrível “Pigmalião”, para “Tony Silverado” e “Corra Bátima”, músicas entre várias outras que te fazem concluir que a banda tem um poder hoje cada vez mais difícil de se alcançar:  fazer você parar para ouvir um disco, do começo ao fim, sem pular de música e se sem conformar com o MP3 de uma ou outra faixa.

10.Monomania – Clarice Falcão

Clarice-Falcão-MonomaniaO disco de estreia da cantora e humorista Clarice Falcão é um poço de fofurices, que chega até a ser exagerado. A engraçadinha “Oitavo Andar”, que lançou a moça para o mundo diretamente do canal da Porta dos Fundos não é nem de longe o ponto alto do trabalho de 14 faixas da que se revelou uma cantora muito séria. O toque irônico de “Eu Esqueci de Você”, o desespero de “Qualquer Negócio” e até a piada pronta de uma história de amor sem muita memória em “Eu Me Lembro” (com o genial Silva) são os grandes momentos de Clarice, que mostrou que pode um grande nome da nossa música folk / MPB mesmo tendo “O Que Eu Bebi”, “A Gente Voltou” e “Macaé” no currículo (e no disco). E não, essas não são ruins. O problema é que ela é muito melhor que isso.

Ah, se você quiser, dá pra ler uma lista com muito mais qualidade editorial que essa. A do Tenho Mais Discos Que Amigos, feita por toda a nossa equipe linda e maravilhosa, está mega completa e espera por você nesse link aí de cima! =)

DJ Rakky II

Alt+Tab

 

É amigos, o mundo dá voltaaasss!!! não posso mais parar! é só correr atrás! 

Fui convidada para representar de novo o Tenho Mais Discos Que Amigos! numa baladinha espera que e a Alt+Tab, em sua estréia no Anexo B, novo ponto de parada obrigatória da Augusta. É a minha segunda experiência como DJ e eu também tô super nervosa!

Dessa vez, vou tocar no mesmo espaço que uma turma super legal e dá pra mandar o nome pra lista de desconto até às 19hs de hoje! Então CORRE!

Abaixo, todas as infos. Quero ver vocês lá!

LISTA: festaalttab@gmail.com (até às 19h do dia 23)
Ingressos antecipados: http://bit.ly/IngressosAltTab11
ENTRADA: R$25,00 (antecipado ou na lista) e R$35,00 (na porta)
CAMAROTE: R$40,00 (antecipado)

_ DUAS PISTAS: INDIE E POP
Os clássicos, as novidades, os hinos que fazem todo mundo cantar e pular junto e dançar abraçado… Na Pista INDIE você vai ouvir: The Killers, Muse, Arctic Monkeys, Foster The People, Blur, The Black Keys, Franz Ferdinand, Arcade Fire, Passion Pit, Justice, Daft Punk Yeah Yeah Yeahs, Vampire Weekend, Gogol Bordello, The Ting Tings, Hot Chip, Kaiser Chiefs, QOTSA, Of Monters and Men, Los Hermanos, Imagine Dragons, Capital Cities, The Smiths, Lorde, Cake, MGMT, The Kooks, Vaccines, The Cure, The Gossip, Alt-J, Strokes, Two Door Cinema Club…

A Pista POP é feita pra você perder a vergonha e se jogar até a última música! Por lá, toca tudo que você gosta: Miley Cyrus, Lady Gaga, M.I.A., Florence, Beyoncé, Rihanna, Lana Del Rey, Ke$ha, No Doubt, Girls Aloud, Nick Minaj, Britney Spears, Mika, Calvin Harris, Robyn, Madonna, The Saturdays, Rita Ora, Azealia Banks, Taylor Swift, Selena Gomez, One Direction, Avril Lavigne, Macklemore & Ryan Lewis, Pitbull, Major Lazer, Zedd, P!nk, Maroon 5, Kylie Minogue, Demi Lovato, Iggy Azalea, Marina & The Diamonds, Little Mix, Icona Pop, Scissor Sisters, Bruno Mars, Katy Perry, Ellie Goulding…

_ DJS

> Pista POP
Davi Sabbag ( Banda UÓ)
Em Cima do Salto ( Lily Scott & Angélica Möller)
Pedrowl (Boombox / UHB – Underaged Heartbreakers)
Positronic & Édipo (Que Delícia, Né Gente?)
Gustavo Jreige

> Pista INDIE
Dieguito (Vivendo do Ócio)
Marçal Righi (Move That Jukebox)
Rakky Curvelo ( Tenho Mais Discos Que Amigos)
Alex Correa ( Glow In The Dark)
The Twins (Desperados DJ Set)

_ CABINE DE FOTOS E WELCOME DRINKS
Você vai poder experimentar na faixa a mistura de cerveja e tequila da Desperados e ainda tirar fotos instantâneas na cabine!

_ BADGES-ADESIVOS
Vamos distribuir nossos adesivos exclusivos (e lindos!), inspirados no indie, no pop e na internet! ♥

_ ANIVERSARIANTES
Aniversariantes da semana da festa (entre 18 e 24/11) ganham ingresso VIP e direito a um acompanhante free – tendo uma lista mínima de 5 convidados.

É só mandar um e-mail com o título ANIVERSÁRIO para festaalttab@gmail.com, com sua lista e o dia do nascimento do aniversariante! 🙂

_ INGRESSOS ANTECIPADOS: http://bit.ly/IngressosAltTab11
Comprando os ingressos antecipados, você garante a sua entrada na festa sem se preocupar! Além disso, teremos uma fila especial para quem já comprou via internet – que é rapidinha! E o melhor de tudo: é o mesmo preço de quem tem nome na lista (+ a taxa de serviço). Você entra rapidinho e aproveita mais a festa!

_ O CAMAROTE: http://bit.ly/IngressosAltTab11
Com o camarote, você tem a certeza de entrar na festa e a comodidade de não pegar a fila (isso mesmo, você entra direto, sem fila!). Você terá acesso a uma área restrita com sofá e, na hora da saída, você vai poder pagar mais rápido, num guichê especial que prioriza o público do camarote . 🙂

Então é isso. Agora, chama os amigos e vem com a gente conhecer o Anexo B do melhor jeito: curtindo muito!

ALT+TAB DE NOVEMBRO
Dia 23/11/13, sábado, às 23h
ANEXO B – Rua Augusta, 430 – São Paulo

Ingressos: http://bit.ly/IngressosAltTab11
Entrada: R$25,00 (antecipado ou com nome na lista) e R$35,00 (na porta)

Camarote: http://bit.ly/IngressosAltTab11
Entrada: R$40,00 (antecipado)

Ingressos Antecipados: http://bit.ly/IngressosAltTab11
Lista: festaalttab@gmail.com (até dia 23, 19hs)

Fotos: Wesley Allen – I Hate Flash
Flyer: Caxahell

 

 

 

A Rakky Recomenda – Rosie and Me

Rosie-and-MeTodo mundo sabe que eu amo folk né? Que Mallu Magalhães é uma das minhas estrelas favoritas num céu de acordes bonitos e que tudo o que tiver um banjo me faz bem, não é verdade?

Pois bem, graças à linda Jay, minha irmã que não tem meu sangue, fui na última terça feira ao show de lançamento do CD Arrow of My Ways da banda Rosie and Me. Confesso, quando recebi o convite, ouvi duas ou três canções, reconheci o banjo e o estilo um pouco folk um pouco country e fiquei ali. Só que aí eu vi a banda no palco.

Rosanne Machado nos vocais, violões e banjo, Ivan Camargo também no violão, Guilherme Miranda no baixo, Thomas Kossar na guitarra e Tiago Barbosa na bateria e percussão conseguem fazer a música fluir nas nossas veias. É uma coisa mágica bater os pés, balançar o esqueleto e se encantar a cada novo acorde com a voz meiguinha da vocalista e o ritmo sempre certeiro do banjo,  do baixo e da percussão, da bateriaaaaa, da emoção da guitarra compassando… Sei que fiquei encantada.

Se você quiser ler alguma coisa menos paga pau a respeito da banda, fique a vontade pra ver a resenha séria (e quase imparcial) que fiz para o site Tenho Mais Discos que Amigos (tá bonita, sério mesmo!). Se só ficou curioso e quer se encantar também, acesse o site da banda:www.rosieandmemusic.com

Tenho Mais Discos Que Amigos =)

Calma gentem! Não tô querendo dizer que vocês lindos amiguinhos que frequentam esse blog não tenham importância pra mim, ou que meus CDs sejam mais significativos que amizades. É que agora eu sou a mais nova colaboradora do site Tenho Mais Discos Que Amigos, um portal de música super legal, com uma galera mó experta escrevendo profissionalmente sobre o mundo da música.

O site foi criado pelo Tony Aiex e tem o objetivo de compartilhar com o mundo como é legal ouvir e consumir música, além de saber o que bandas legais estão fazendo por aí e onde estão as inovações do ramo. Ou seja: é perfeito pra mim né? uhauahua

Encontrei esse achado da internet a pouco mais de seis meses e acompanho diariamente, porque tenho um tique nervoso com música sou extremamente vidrada no mundo musical. Aí, como tava lá sem fazer nada e pans, resolvi me convidar pra colaborar e pra minha surpresa o Tony gostou das besteiras que escrevo por aí e aceitou a colaboração, fazendo essa criança aqui ficar feliz pra caramba!

Enfim, CORRÃO lá agorinha pra conferir meus textos e os dos outros colaboradores, que são fodelões também. Adiciona também o site nos seus favoritos e segue nóis no Twitter e no Facebook pra saber das novidades, beleza?