O Teatro Mágico lança novo DVD e reforça defesa da música livre

Sabe quando a gente sente orgulho de ser parte de algo? Pois é exatamente essa a sensação que Fernando Anitelli e trupe transmitem a todos aqueles que já tiveram a graça de acompanhar de perto um show do O Teatro Mágico. O mais novo projeto da trupe é um novo DVD, intitulado “Segundo Ato” e produzido em parceria com o Itaú Cultural.

Capa do novo DVD

Nesses mais de 6 anos de estrada, a trupe lançou dois álbuns, alguns DVDs, fez shows em parques, associações, grandes e pequenos palcos, praças e até em um circo, além de vender o fabuloso número de 330.000 cópias, contando CDs e DVDs.  Esse número pode parecer pequeno para alguns, porém, se colocarmos no papel a venda apenas em shows e na lojinha oficial do site, sem divulgação na TV ou no Rádio, sem jabá e sem travas para fãs, é um número gigantesco. A trupe reforça em cada show a arte e a cultura do nosso país, com danças, teatro, apresentações circenses e suas canções penetram na mente e no coração. É quase impossível não gostar [digo quase, porque tem louco pra tudo!]. Além disso, Fernando Anitelli nos faz participar de cada momento, seja cantando, dançando, no coro com as músicas ou ainda incitando os presentes a contribuir para a propagação do projeto.

Em vários shows, o cantor e poeta do mundo mágico de “Oz – sasco” pede que os fãs comprem o CD, mas, quem não tiver dinheiro aí agora, pode baixar as músicas e álbuns da banda na Internet e divulgar por ai. “Pelo amor de Deus, pirateiem o nosso trabalho” é o grito de liberdade da vez, e como todo grito, choca os desavisados e instrui aqueles que participam junto com o TM dessa transformação.

O novo DVD foi gravado ao vivo, em maio de 2009, no auditório do Itaú Cultural, em São Paulo, durante uma semana, sendo três shows por dia, de forma a tentar atender à procura do público pelos ingressos. Em cada data, a trupe recebia uma participação especial e nomes como Nô Stopa e seu pai Zé Geraldo, Silvério Pessoa e GOG deram sua contribuição musical à trupe liderada por Fernando Anitelli.  As filas para aquisição do ingresso davam a volta no local do evento todos os dias. Depois das apresentações, o resultado final é uma fiel reprodução do espetáculo “O Segundo Ato” e o lançamento é aguardado ansiosamente por todos os fãs e parceiros da trupe.

Mas simplesmente o lançamento do DVD tão aguardado não seria suficiente para a trupe. Além do show, o DVD comporta ainda uma faixa extra onde integrantes do grupo contam um pouco da história de sucesso do projeto e abordam questões pertinentes ao mercado fonográfico e ao modelo de auto-produção escolhido por Anitelli ao dizer “não” às principais gravadoras do país.

Quem foi que disse que não há saída para a música? O Teatro Mágico, a seis anos, prova que é sim possível fazer sucesso defendendo questões polêmicas como o movimento MPB (música pra baixar) a reforma da lei do direito autoral, a causa dos ambientalistas, das feministas, das bandas independentes e muitos outros. E tudo isso na internet, sem gravadora, independentes e livres e com o contato direto com os fãs, aproximação e parceria. Isso é música livre. Isso é O Teatro Mágico.

Site Oficialwww.oteatromagico.mus.br

Serviço:

Show de lançamento do dvd  “Segundo Ato” no Rio de Janeiro
Data do Show: 16/07/2010
Horário do Show:  à partir das 21h
Local do Show: Fundição Progresso
Endereço: Rua dos Arcos, 24 –  Lapa – Rio de Janeiro
Pontos de Venda: Lojas South, Barra Shopping – 2431-8909, Botafogo Praia Shopping – 2237-9275, Plaza Shopping Niterói – 2620-6769, Ilha Plaza Shopping – 2463-7521, Iguaçu Top Shopping – 2666-7701,  Shopping Tijuca – 2234-3801, Lojas Banco de Areia, Shopping Leblon – 2239-3444 e Rio Sul – 3873-0969.

Show de Lançamento do dvd “Segundo Ato” em São Paulo
Data do Show: 18/07/2010
Horário do Show: 19h
Local do Show: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899, Pinheiros – São Paulo
Pontos de Venda: No próprio Carioca Club e através do site: http://www.ingressorapido.com.br
Valores dos Ingressos: 1° Lote: R$ 25,00 (Meia e Promocional)/2° Lote: R$ 30,00 (Meia e Promocional)

A Clariana que existe em cada um de nós…

sinos_

Descer a Rua da Consolação à noite pode parecer corriqueiro, mas é também belo, para os olhos daqueles que se consideram atentos observadores. O tráfego dos carros, o semi-trânsito formado pela proximidade com a Paulista, a mais paulista das avenidas de São Paulo, o brilho dos lustres dependurados nas várias lojas da rua que comercializam esses bonitos adereços, a penumbra do cemitério da consolação… todo um clima triste, de fim de dia, de fim de quarta-feira, de metade da semana perambula intensamente. Porém, bem ali na frente do cemitério, mora um consolo para os olhos e para a alma, que pode e deve levar muitas pessoas à famosa rua.  Estou falando do consolo gerado pelos “Sinos Imaginários” peça que fica em cartaz até a última quarta-feira de agosto (26/8) no Teatro Coletivo Fábrica.

Chris Cruz e Rober Tosta, na pele de seus personagens em "Sinos"

Chris Cruz e Rober Tosta, na pele de seus personagens em "Sinos"

Escrita e dirigida por Maíra Viana Barros e baseada no livro “O Teatro Mágico em Palavras”, também da autora, a peça nos leva a refletir. A história de Clariana, uma garota que trancada em seu apartamento vive atormentada por lembranças de um passado feliz, pela presença-ausente de uma amiga que só se lembra dela para pedir-lhe favores e pela pressa da editora que não lhe deixa terminar seu livro em paz parece-se com a história de todos nós.  Não por causa dessas situações que podem apenas assemelhar-se com o dia-a-dia de uma sonhadora contadora de histórias, escritora, autora de livros como é a personagem de Clariana, mas por causa de seus sentimentos.  Clariana é uma jovem reclusa da sociedade, que se tranca da vida em seu apartamento, talvez pra fugir, talvez pra não ser, talvez pra ser mais ela mesma. Toda a solidão que encontra em seu apartamento, isolada do mundo lá fora, fazem de Clariana uma jovem que foge de seu próprio destino, consolada pela própria resistência ao que é novo, ao que pode ser belo, sua própria resistência à vida.

O Menino Varrido

O Menino Varrido

Trancada nesse mundo de segurança, de silêncio e de quase paz, Clariana passa a ver os personagens de seu livro semi-começado em sua sala, interagindo com ela e lhe dando conselhos. As semelhanças que encontra entre sua história e a de seus personagens a leva a ver a vida de outra forma, talvez mais plena, talvez mais feliz… de uma forma ou de outra, são 70 minutos que enchem o coração de paz, de alegria e de esperança e que merecem ser vistos.

A Menina-Esquisita

A Menina-Esquisita

Um dos momentos mais marcantes da peça talvez seja a conversa de Clariana com ela mesma, feita gente em sua personagem, a “Menina-Esquisita”. Tal como toda a gente esquisita, a “Menina-Esquisita” reagia de forma diferente às coisas do mundo… o encontro de Clariana e da Menina-Esquisita e as explicações que a autora dá à personagem são peças que podem se encaixar à vida de qualquer um. Afinal, quem nunca foi a menina tímida, que preferia ficar isolada num canto, vivendo em seu próprio mundo, ligada no que Clariana chama de “modo-invisível”? Quem nunca teve medo de assumir qualquer coisa, e por ter tanto medo acabou perdendo o que mais queria ter? Quem nunca se escondeu de si para não enxergar o mundo? Quem nunca se escondeu do mundo para não enxergar a si?

Enfim… dizem por aí que sinos imaginários tocam quando conhecemos alguém especial… ouça os sinos!

Serviço:

Sinos Imaginários
Local: Teatro Coletivo Fábrica / Rua da Consolação, 1623, SP [em frente ao Cemitério da Consolação]
Data: às quartas-feiras, de 8/7 à 26/8 de 2009
Horário: 21hs
Ingressos: R$20,00 (meia) / R$40,00 (inteira)
Classificação: 14 anos
Duração: 70 minutos
Estacionamento Conveniado: R$ 8,00 – Rua da Consolação, 1681
Informações: 11 – 81980351 ou  www.sinosimaginarios.com.br
Nota: 10,0

Dez Razões Pra Ouvir – O Teatro Mágico

12/06/2007

Dez Razões pra Ouvir – O Teatro Mágico

Por que é que não se junta tudo numa coisa só? Isso mesmo. Juntaram. O Teatro Mágico é um novo movimento musical, que comemorou três aninhos de estrada no final do ano passado. Talvez você já os conheça, talvez nunca os tenha visto. Mais é certo que quinze (ou mais) atores fazendo de tudo um pouco em cima de um palco têm algo que possa atrair a curiosidade. Precisa de mais informação não é? Dez razões pra ouvir:

1. A trupe: Não, não é um grupo de teatro. É uma banda! Mas são sim vários atores e atrizes tocando, cantando, dançando, fazendo malabarismo, e até pirofagia. Tudo isso ao vivo, comandado e orquestrado pela voz de certo palhaço, com ares de sonhador: Fernando Anitelli.

2. O Projeto: Tudo começou com a idéia de Fernando Anitelli de reunir partes da música brasileira à elementos do circo, do teatro, da literatura e do cancioneiro popular. A inspiração veio dos saraus de que o jovem estudante de Comunicação Social participava. Ali um malabarista se apresentava. Aqui um artista apresentando técnicas de pirofagia. Na outra ponta algum músico muito amigo de seu instrumento. E a vontade de criar um grande sarau, onde tudo é uma coisa só fez Anitelli reunir uma turma do fantástico mundo de Os-asco e começar a levar o projeto à frente. O nome da trupe vem de um livro de Herman Hesse, O Lobo da Estepe. E daí pra frente são mais de três anos de trabalho, dois álbuns (Voz e Violão e Entrada só para Raros), muitos vídeos no Youtube e milhares de fãs vestidos e pintados como crowns no Brasil inteiro.

3. A música: Nossa, isso é rock? Também. É MPB? É claro que sim. É pop? Sim. É cordel? Lógico. Que tipo de som afinal esse teatro faz? Não tenho a menor idéia! E nem você terá. Acredite, há músicas da mais fina MPB capazes de lembrar Toquinho e Vinícius e outras que podem te remeter a um rap ou a um pop tão dançante quanto qualquer um ouvido numa danceteria. O Teatro Mágico procura levar o popular, o oriundo de nossa terra, o que veio do Brasil. A maioria das músicas é de autoria de Fernando Anitelli, idealizador do projeto, e trazem situações do cotidiano, além de lendas, histórias e até fabulas. Talvez toda esta mistura faça a trupe chamar tanto a atenção do publico jovem em geral. Que seja o que for. É mágico.

4. A facilidade: Digite “O Teatro Mágico” em qualquer site de busca. Além de encontrar várias letras de músicas, fotos, história e membros da trupe você vai encontrar também várias músicas para download. Isso mesmo! Não precisa procurar muito. O Teatro Mágico é uma banda totalmente independente, que depende do que arrecadam em suas apresentações para manter o projeto. Mais não querem de forma alguma investir em uma gravadora que “limite” ou “selecione” quem pode ou não ouvir o seu trabalho. O lema maior do grupo é a busca pela liberdade. A trupe grita em meio as suas apresentações a favor da democratização da cultura, e clama por uma música livre, uma imprensa livre, uma cultura livre, softwares livres. Um dos principais pedidos que Anitelli faz aos fãs é: “Pelo amor de Deus, pirateiem o nosso trabalho!”.

5. Os Shows: Em praça pública, em eventos gratuitos, em salões fechados, em lugares pagos. Mais sempre com a mesma alegria. A atração é a diferença de ser raro e ser único, insubstituível. E para ser raro basta existir. A valorização da existência rara que cada um de nós carrega também é um ponto mágico da trupe. Luz, voz, violão, violino, gaita, flauta, batuque, piano, bateria, baixo… ufa!! Perde-se a conta de quantos instrumentos são visíveis no palco. Tem até um DJ no meio da turma. Tudo numa coisa só mesmo.

6. A literatura: O resgate que O Teatro Mágico faz à literatura é emocionante. Versos de cordel e poemas, frases feitas e cancioneiro popular. Está tudo ali te fazendo refletir e procurando encontrar o que há de melhor em você. A raiz da nossa cultura está em cada um de nós. E é este o resgate que atrai, que contagia e que faz cantar. Afinal todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser, e nenhum predicado será prejudicado, nem tão pouco a frase, nem a crase, nem a vírgula e ponto final.

7. As mensagens: Nos momentos mais inusitados, nos shows ou nos sites e blogs da trupe, há sempre um recadinho de conscientização. Seja pra fazer a galera se ligar no que anda acontecendo na política, ou a revolta que causa cada novo surto de violência ou de injustiça por este Brasil afora, tudo tem o seu espaço. A manifestação pública é bem-vinda, desde que seja bem-feita.

8. Fazer a diferença: Sim, os fãs do Teatro Mágico não somente vêem os shows, acompanham a trupe e coisa e tal. Tem também a galera que faz a diferença. Imaginar grupos que, unidos pelo comum que têm de gostar de uma banda e daí para frente se doar a trabalhos voluntários, visitações à orfanatos, creches e instituições de caridade, levando a alegria, a paz e o jeito TM de ser dentro de si é carregar um novo ideal pra vida. É, como diria novamente Fernando Anitelli, amanhecer brilhando mais forte.

9. A repercussão: Alguém me diz, por favor, como é que uma banda que só faz divulgação on line, não tem gravadora, não tem música na novela e não tem divulgação consegue reunir cada vez mais pessoas em seus shows? Nas duas semanas seguidas em que a prefeitura de São Paulo organizou a Virada Cultural o show do Teatro Mágico foi o mais aguardado. Estima-se que 40 mil pessoas tenham visto o show do dia 05 de maio no Anhangabaú. O maior meio de divulgação da banda é o “trabalho boca-a-boca”. Cada novo espectador é bem acolhido e se vê inspirado a divulgar. E assim, um por um, o Teatro Mágico alcança multidões.

10. Contra a massificação: Sim, são contra. Você não vai ver o Teatro Mágico no comercial do novo refrigerante, ou no maior programa de auditório da TV, se não houver de verdade um bom motivo para isso. A cultura é a principal arma da trupe e não será abandonada. Por que vender CD´s à R$ 5,00? Por que o brasileiro não é ignorante, o brasileiro é pobre. Por que se pintar e se vestir como palhaços? Para redescobrir o clown, o palhaço que há em cada um de nós, o personagem que interpretamos todos os dias e que não nos parece ser tão personagem assim. Por que defender a cultura? Por que ela é a nossa única salvação.

Sem horas e sem dores, respeitável público pagão, bem-vindos ao Teatro Mágico! Sintaxe a vontade.

Bateu curiosidade? Te peguei? Quer só ver se curte? Então vai lá pessoa! Só não esqueça que a entrada é só para raros. E que isso não exclui ninguém.

Publicado originalmente no site MundoRock.net em junho de 2007